Você já recebeu algum “meme” de seus amigos que descrevesse a internet, o sono e a comida como necessidades humanas básicas?

Esses memes se tornaram comuns nos tempos atuais… E nós acreditamos que, muito em breve, o item “telefone de advogado” será o próximo alvo dessas brincadeiras! Será? Hahaha.

Brincadeiras à parte, todo mundo quer ter o telefone de um advogado em mãos, né?

E por que as pessoas querem ter o telefone de um advogado em mãos? Como elas escolhem um advogado? O que você deve fazer quando precisar de um?

Neste post, abordaremos as melhores práticas a serem adotadas para que você saiba como escolher um bom advogado e qual a melhor forma de conversar com ele. Vem com a gente!

POR QUE AS PESSOAS ACHAM QUE PRECISAM DE UM TELEFONE DE ADVOGADO?

Geralmente, as questões jurídicas envolvem situações muito delicadas da vida das pessoas.

Isso significa que procurar um advogado é muito mais do que buscar um auxílio no que tange às leis e contratos: é buscar apoio em um momento de insegurança e incerteza. O advogado tem a função de proteger o seu cliente!

Dessa forma, por mais que você seja muito bem sucedido em várias áreas de sua vida, você pode não saber o que fazer diante de alguns problemas jurídicos.  

Nesses casos, nada melhor do que ter um telefone de advogado em mãos, né?

Mas será que ter um telefone em mãos será suficiente?

É ÚTIL SIMPLESMENTE POSSUIR O TELEFONE DE UM ADVOGADO?

Certamente, você possui alguns contatos de advogados salvos em sua lista telefônica, seja de um parente ou amigo. Se você não tiver, fique tranquilo que não será tarefa difícil conseguir um!

O problema é que não vai adiantar ter “qualquer” telefone de advogado. É preciso ter o telefone de um advogado que conseguirá resolver o seu problema, concorda?

O Brasil, hoje, conta com mais de 1 milhão de advogados inscritos na OAB. Difícil escolher o advogado ideal em meio a um universo tão extenso desses profissionais, né?

Por isso mesmo, é comum que as pessoas escolham o seu advogado com base no grau de intimidade que possuem com o profissional.

No entanto, deveriam pautar sua escolha na competência técnica e área de atuação do mesmo.

As pessoas, ao se depararem com a necessidade de contratar um advogado, ligam para parentes que, muitas vezes, são especialistas em resolver problemas em uma área distinta daquela que envolve o caso em questão. A título de exemplo: o familiar/amigo é especialista em Direito de Família e este é contratado para solucionar um problema do âmbito penal.

Riscos de uma contratação incorreta 

Consegue visualizar o risco que essas pessoas correm?

O risco mencionado acima, é ainda um risco duplo, isso porque:

 (i) a pessoa pode conseguir o telefone de um profissional não especialista na área que se relaciona àquele problema e;

(ii) os papéis de advogado/amigo/familiar podem se confundir, o que pode vir a causar prejuízos à atuação do advogado no caso e ainda à relação pessoal do advogado com seu cliente.  

Desse modo, em algumas situações, pode não ser útil simplesmente possuir um telefone de advogado para se sentir seguro. Nem sempre aquele advogado será o mais apto para solucionar determinada questão jurídica.

Por isso, o ideal é que se tenha (ou se obtenha) o telefone de um advogado qualificado para solucionar o conflito daquela área em específico.

Caso contrário, você corre o risco de não ter o seu problema solucionado da forma mais adequada. Como se diz por aí, “o tiro sair pela culatra”.

Telefone de advogado. Mulher nervosa gritando ao telefone com seu advogado.

 

E POR QUE, AINDA ASSIM, AS PESSOAS ESCOLHEM SEUS ADVOGADOS COM BASE NA INTIMIDADE QUE POSSUEM COM O PROFISSIONAL?

Ao entrar em contato com um advogado, na maior parte das vezes, as pessoas não buscam apenas a resolução do seu problema.

Elas buscam, também, uma relação de proximidade e confiança com o profissional. 

Dessa forma, poderão contar com ele para a resolução de quaisquer problemas que venham a surgir.

De fato, muitas vezes, quando as pessoas buscam advogados de fora do eixo família/amigos, essa relação próxima não existe, e isso pode causar frustração e decepção em relação aos profissionais contratados.

Há que se considerar, ainda, o dado já mencionado de que o Brasil, hoje, conta com mais de 1 milhão de advogados inscritos na OAB.

Em meio a um universo tão extenso desses profissionais, as pessoas se vêem diante de uma difícil decisão e não sabem qual o melhor critério a se utilizar para escolher o profissional ideal para o seu caso.

Evidente, portanto, os motivos que levam as pessoas a escolherem seus advogados com base no grau de proximidade que possuem com o profissional.

Porém, como já demonstrado, isso representa um risco, motivo pelo qual, até nesses momentos, é preciso ser estratégico!

QUAL A SOLUÇÃO, AFINAL?

Abra sua lista telefônica, selecione todos os contatos de advogados que possui e ligue para cada um deles. Feito isso, escolha o profissional ou escritório que seja competente para resolver o seu problema junto com você, considerando, dentre outros critérios, as áreas em que atuam.

Em alguns momentos, esse profissional poderá ser o seu parente; em outros, pode ser o seu amigo; ou mesmo um especialista com quem você ainda não conversou.

Não se esqueça: é importante que você se sinta confortável e seguro com esse profissional, pois, só assim, vocês conseguirão ter confiança um no outro para traçarem e alinharem a melhor estratégia para solucionar o seu caso.

Lembre-se também que problemas jurídicos envolvem questões muito delicadas de sua vida. Seja cirúrgico na escolha do profissional que te ajudará.

Gostou do nosso post? Agora que você já sabe como proceder quando precisar de um telefone de advogado, vem ver, com mais profundeza, quais são os tipos de advogados existentes e quando cada especialista pode lhe ser útil!

Ah! E não esquece de nos seguir em nossas redes sociais! 🙂