advogado

Advogado: qual a sua função?

Nem todas as pessoas sabem, com clareza, qual o papel de um advogado…

Geralmente as pessoas buscam um advogado: (i) por possuírem algum problema jurídico; (ii) com o intuito de evitar a existência de um problema jurídico; ou (iii) por desconhecimento de algum assunto ou do que fazer em determinada situação.

Isso significa que, em grande parte desses casos, buscar um advogado não representa uma situação alegre. Na verdade representa uma situação em que a ajuda de um especialista é necessária para evitar ou resolver um problema. Muitas vezes, essa ajuda se mostra, inclusive, urgente!

E qual é o papel do advogado? O advogado deve resolver todos os seus problemas? Parece óbvio, mas quais as semelhanças e as diferenças que existem entre um advogado e um psicólogo? Que informações você deve ter em mãos quando for conversar com seu advogado?

Neste post, você vai entender qual é a função de um advogado e como você pode se utilizar disso, da melhor forma possível, para resolver os seus problemas.

Qual o papel de um advogado?

Segundo o Código de Ética da OAB, o advogado é indispensável à administração da Justiça, é defensor do Estado Democrático de Direito, da cidadania, da moralidade pública, da Justiça e da paz social.

Mas, o que isso significa na prática?

Do ponto de vista prático, o advogado é aquele profissional que busca ajudar as pessoas a alcançarem a Justiça.

São muitas as possibilidades em que ele pode prestar esse tipo de auxílio: (i) nos casos em que for necessário ingressar com um processo no Poder Judiciário; (ii) em situações que demandem consultorias jurídicas; (iii) nos momentos de elaboração de acordos; (iv) quando o cliente for parte de uma Mediação ou de uma Conciliação; dentre diversas outras.

Este post, inclusive, pode se enquadrar dentro de uma das funções do advogado. Por seu caráter informativo, o texto tem como finalidade ajudar pessoas a se empoderarem e entenderem seus direitos e deveres.

Percebe, portanto, que a função de um advogado é muito mais do que cuidar dos “processos” das pessoas? A função de um advogado é buscar, dentre todos os caminhos possíveis, o melhor caminho para aquele cliente. E ele o faz informando o seu cliente acerca dos riscos e vantagens de cada um desses caminhos.

O advogado deve resolver todos os seus problemas?

Todos os seus problemas podem ser levados até um advogado. Entretanto, por trás de cada um deles, existem questões que envolvem o relacionamento com outras pessoas. Envolvem, ainda, possíveis dores e necessidades que ultrapassam a conexão advogado e cliente.

O que ocorre é que, muitas vezes, essas questões são deixadas de lado. Apenas o problema imediato ou superficial é exposto ao profissional. Consequentemente, apenas ele “tem um ponto final” – seja pelo sim ou pelo não.

Nesses casos, teria o conflito sido resolvido em sua totalidade? Decerto que não.

Em grande parte das situações, o que realmente importa para os envolvidos no conflito é aquilo que se encontra submerso por baixo do problema superficial – aquele que, comumente, é exposto. E é por isso que insistimos na ideia de que: antes do advogado, você é a melhor pessoa para resolver o seu problema. Tente. Não sendo possível, busque um advogado e encontre o melhor caminho a ser seguido.

Então, qual a real função de um advogado? 

Antes de tudo, tenha em mente que não é função do seu advogado resolver todos os seus problemas. A função do advogado é buscar ou indicar os melhores caminhos a serem percorridos para solucionar o conflito em tela. Assim, ele estará ajudando o seu cliente na tomada de decisões.

Em vários casos, os melhores métodos para tentar encontrar a solução do problema são os métodos consensuais. Por exemplo, a negociação, que possibilita às partes uma conversa. Essa conversa pode se dar de maneira informal, sem que seja necessária a presença de advogados.

Quando envolvemos esses profissionais, o problema tende a ficar mais complexo, mais burocrático. Além disso, sua solução “sai” da mão das pessoas nele envolvidas, vinculando-se a Leis, juízes e advogados.

Além disso, há de se considerar que Justiça é um conceito abstrato. Sendo assim, o que o Juiz ou o Direito consideram justo para o seu caso, podem não te satisfazer. Por isso é importante ser estratégico e, antes de “comprar” uma briga judicial, tentar conseguir uma boa negociação. Essa negociação pode resgatar um relacionamento e trazer um cenário bom para todos os envolvidos.

Faz sentido?

Parece óbvio, mas quais as diferenças e as semelhanças existentes entre um advogado e um psicólogo?

É muito comum escutar advogados se queixando que seus clientes, em alguns momentos, os confundem com psicólogos, e isso é normal, afinal, trata-se de uma questão que ultrapassa o âmbito jurídico e envolve sentimentos e necessidades de várias pessoas.

Assim como o psicólogo, o advogado tem a função de escutar o seu cliente para, em seguida, ajuda-lo a tomar as melhores decisões que possibilitem a ele evitar um problema ou solucionar um já existente.

Entretanto, por mais que o advogado empodere o seu cliente e o nutra com o máximo de informações possíveis para que ele se sinta seguro e entenda tudo que se passa em seu caso, ele, ao contrário do psicólogo, só consegue prestar um auxílio efetivo no âmbito jurídico.

Por isso, as questões pessoais internas e relacionais envolvendo o caso não são abrangidas da mesma forma que as questões jurídicas. Por outro lado, se a resolução do problema for encaminhada a métodos consensuais, como a Mediação, sentimentos e interesses poderão ser trabalhados na mesa e, talvez, bem esclarecidos, explorados e atendidos. 

Em síntese: trabalho do advogado tem por objeto a maximização dos ganhos do seu cliente na resolução ou prevenção de um problema jurídico.

Assim, é importante se ter em mente que, quando o advogado tiver uma postura mais direta, evitando render assuntos muitos pessoais (o famoso desabafo) e buscando focar nos fatos e nas consequências do problema, ele estará tão somente realizando o seu trabalho.

Faz sentido?

Que informações você deve ter em mãos quando for conversar com seu advogado?

 

advogado. pessoa fazendo pesquisa sobre o papel de um advogado e realizando anotações.

 

De uma coisa você pode ter certeza: tanto para você quanto para o seu advogado o tempo é precioso. Então, preparar para o primeiro encontro com seu advogado e entender a fundo o problema que te leva até o profissional, são ações que podem garantir um maior rendimento dessa conversa inicial e uma celeridade no andamento do seu caso.

E como você pode se preparar para essa consulta ou encontro? Nós vamos te ajudar!

O primeiro passo é relatar a seu advogado o que aconteceu da maneira mais detalhada possível. Tente fazer um relato que contenha as seguintes informações:

1) O que aconteceu? O que te levou ao advogado?

Tente ser imparcial e foque nos eventos fáticos da forma mais completa possível.

2) Quais são os pontos importantes para você?

Aqui, você deve tentar abordar em que esse problema te afetou e quais foram as consequências, de modo que possam ser facilmente identificadas as questões que precisam ser resolvidas e que não podem ser ignoradas, com destaque aos pontos de mais urgência da situação.

      3) Quais as provas (documentais, testemunhais, periciais, etc) existem?

Você deve levar ao seu advogado o máximo de elementos e documentos possíveis que comprovem sua versão dos fatos, incluindo pessoas dispostas a testemunhar por você. Quanto mais completas essas informações, mais chances de ter êxito você terá!

       4) O que você acha que é importante para os outros envolvidos?

Essa informação pode ser muito útil, uma vez que permitirá a seu advogado preparar uma estratégia de acordo e negociação personalizada de acordo com o seu caso.

 5) Quais são suas dúvidas?

É importante que você também questione, que esclareça 100% de suas dúvidas. Então, tome notas de tudo o que quiser perguntar e busque esse esclarecimento com o advogado no momento da conversa.

Siga uma lógica de raciocínio clara e procure passar por todos esses pontos. Além disso, organize bem seus documentos e a narração dos fatos, porque isso facilita a vida do profissional que vai te atender. Lembre-se: um advogado é diferente de um psicólogo.

Conclusão 

Neste post, você aprendeu um pouco mais sobre as funções do advogado e sobre como se utilizar de todas elas da melhor forma possível para maximizar seus ganhos.

Em resumo:

  1. Nem sempre vale a pena buscar um advogado, sempre que possível, busque a solução de forma consensual com os envolvidos na questão.
  2. O advogado tem a função de ajudar as pessoas a alcançarem a Justiça, função essa que é muito mais ampla do que simplesmente “cuidar” dos processos das pessoas.
  3. O advogado deve te ajudar a ampliar sua perspectiva em face do problema que você quer evitar ou solucionar para, com base nisso, te ajudar a tomar a melhor decisão possível.
  4. Advogado não é psicólogo.
  5. É de suma importância que você organize suas informações e documentos e seja estratégico no momento da conversa com seu advogado.

Com essas informações, outra coisa é certa: a sua postura e a sua preparação, seja antes de uma consulta, seja juntando e buscando documentos para provar suas alegações, irão afetar diretamente os resultados que seu advogado buscará. Trata-se de um trabalho em equipe.

E não somente isso. Lembre-se: ninguém é melhor do que você mesmo para tomar decisões e participar da resolução do problema, trazendo sempre à mesa objetivos, necessidades e anseios que devem ser levados em conta.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia nosso postTipos de Advogados: quais são?”

4 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp Converse conosco! :)